segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

(...)

A única coisa pior do que alguém que detesta a gente é alguem que ama a gente!



Os pais de sua namorada exigiram o fim daquela relação
que já durava cinco meses de muito carinho e reprovação
Sempre que se chateava cortava os braços com gilete pra chamar à atenção
Tinha carência afetiva, achava que seus pais gostavam mais do irmão . . .
Um dia olhou pela janela, imaginou como seria o seu vôo até o chão
Mas quando pensou na sujeira que ela causaria..
desistiu, foi ver televisão
Tinha que engravidar, criar, envelhecer, morrer como todos esperavam
Tinha que renunciar, agradar, obedecer, vencer como todos desejavam
Até que ela partiu
Ela partiu pra bem longe
Pra distante o bastante pra suportar
Ela partiu pra bem longe
Tão distante parada no mesmo lugar
onde nunca deixou de estar
Ela partiu ao meio
Ensaiou o que diria se um dia fosse "artista
homenageada no Faustão"
Enxugaria as lágrimas, abraçaria amigos
e a mãe teria o seu perdão
Voltando a realidade,
ela encontrava um quadro que não tinha muita solução
Se achava velha, muito nova, gorda ou muito feia
Sempre inadeqüada pra situação ....
Partiu pra bem longe!!!!!!



Alguns dados estatísticos:
primeiro livro furtado:13 de maio de 2008
segundo livro furtado:29 de maio de 2008
terceiro livro furtado:18 de agosto de 2008

3 comentários:

Gê Herós disse...

"ela partiu pra bem longe e deixou um amigo que a ama muito"

FALTOU ESSA PARTE!!!

"a menina que roubava livros"

só pra te lembrar... é a morte quem conta essa história...

só consigo imaginar a vida contando a sua!

expresso moda disse...

Adorei!!!



Bjs

Paulo

blogdaagapita disse...

Vc conseguiu exprimir o que é extremamente confuso na minha cabeça. É isso que eu tentava escrever. Achei incrível esse texto. Nunca consegui escrevê-lo assim...Tão bem.