quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

(...)

Em meio a tons verdes e fulvos de uma pequena cidade,ela estava lá por muito tempo já!
Vivendo uma vida que ela sabia que não era a dela!
Pouca coisa mudou,mas muito dela também mudou!
Parecia sentir ciúmes do acaso,desprezar o obvio e amar o impossivel!
Com pouco ela destruiria o mundoe com muito menos ela reconstruiria o céu , a terra e as estrelas!
Nunca fora de fato louca,porém estava distante do que era considerado normal.
O que ela sempre quis era ser como as outras garotas do colégio:Com outras amigas,brigas de namorados,festas do pijama nos finais de semana....
Tudo o que ela conseguiu foram uns livros roubados e uma solidão do tamanho do mundo!!!
O dia mais feliz da sua vida, foi quando seu pai á expulsou de casa,com uma mala em cada braço e dez reais no bolso (...) Ela se sentia pronta pra começar tudo pela primeira vez na vida!
Nunca havia sentido a liberdade de verdade antes, e esta tinha um gosto amargo, mas sem dúvida o melhor que ela poderia sentir!
E com o passar do dia o doce da solidão se misturou com o amargo de ser livre, e ela sentiu que podia voar e sentiu a alma saindo de sí!
Pela primeira vez no entanto sentiu que era um bom momento para deixar de ser quem sempre foi, pois já havia se cansado de si mesma.

Um fato importante:
Ela ronca quando ri!

ps:um beijo pro Edu!!!

2 comentários:

Gê Herós disse...

Estou com toda certeza estupefato... de longe o melhor texto seu que ja li... ele ultrapassa as linhas, ele transborda a capacidade literaria dessas paginas virtuais... é o tipo de texto que desencadearia um conto ou um romance fantastico repleto de dor, blues, amor genuino e poesia melancolica... cuidado... vc pode estar encontrando um grande talento, ou pior (neste caso melhor) este talento pode estar te encontrando... falo do talento de escrever... este texto é incrivel... mas na boa... que é esse Edu heyn? ¬¬

kkkkkkkkkkkkkkk
parabens!

Carlos disse...

Olá! Eu sou o Edu!!!!
Nati, sensacional o texto...
Tem um pouco de vc, um pouco de mairiporã, e certamente, uma bela história de vida (ou uma bela fantasia!).
Passei pra retribuir o beijo, e dar uma boa noite!
Bjooos!
Edu